locucaoQuer melhorar sua comunicação?  Estão abertas as inscrições para o meu Curso  . Período: 06 a 10 de julho das 10:00 as 12:00h – Local a ser confirmado. Faça sua reserva pelo nosso contato aqui do blog. Turma de apenas 10 pessoas.

DICAS IMPORTANTES DE COMUNICAÇÃO 

  • Observe o impacto que você causa nas pessoas.
  • Aprenda a receber feedback negativo sem tomar como ofensa pessoal. Se alguém disser que você está falando baixo ou alto demais ou está sendo exageradamente ríspido e subserviente, não receba esse feedback como ameaça.Use para investigar seu processo comunicativo.Nada está sendo dito contra você, mas sim contra a sua forma de se expressar.Agradeça a quem teve coragem de dizer o que pensa, mas não tome como verdadeiro tudo o que lhe dizem. Use o que for ajudá-lo a tornar-se melhor.
  • Não se comporte nas reuniões sociais como se estivesse na mira de um pelotão de fuzilamento. Não banque o “coitadinho.”Quem sabe pensar, pode aprender a expressar suas idéias sem medo, mesmo correndo o risco  de vê-las rejeitadas. e Dai? Ninguém está querendo ofender, só não concordam com seu ponto de vista.E o direito de discordar deve ser preservado.
  • Tenha coragem de fazer escolhas., por exemplo, abandonar um jeito de ser que não serve mais. Muitas vezes é uma escolha complexa porque nossas relações nos puxam para o conformismo. Se, no grupo, o seu papel sempre foi o do “bonzinho subserviente”, no momento em que você decidir abandonar essa personagem e mostrar o seu lado mais assertivo, a tendência do grupo será espantar-se, num primeiro momento, e em seguida rejeitar esse novo papel por mexer na estrutura grupal. Aguente o desconforto. Não cristalize papéis que não acrescentam nada!
  • Imagine que seus gestos, atos e palavras estão sendo filmados por 24 horas e depois você terá nas suas mãos um dossiê completo das suas comunicações. Como acredita que seriam as cenas? Como você fala, ri, sussura, lança olhares, movimenta-se, relaciona-se? Qual a imagem que você vê?Como você mudaria o que considera barreiras em seu processo de comunicativo? O que deixaria igual? De posse dessa auto-análise, trace um plano de metas, estratégias e outros recursos internos e externos necessários para as mudanças técnicas e comportamentais.
  • Mantenha sempre que possível o bom humor. O corpo mais mais relaxado, a mente mais aberta, um sorriso franco aproximam as pessoas. Transmitir bem-estar e consolidar um clima de confiança e amizade devem fazer parte da nossa meta como comunicadores.
  • Demonstre afeto pelas pessoas. Tenha coragem de expressar seus sentimentos. Não se envergonhar das próprias emoções  é uma forma de fortalecer a auto-estima.
  • Seja mais assertivo em suas comunicações. Se preciso, ensaie a sequência do que quer falar. No mínimo, isso servirá para você ouvir a si mesmo.
  • Grave sua voz e depois analise-a. Sua dicção é boa? E a articulação? Você transmite segurança no que diz? Como é o tom de sua voz? Ouvir a si mesmo é uma maneira de conhecer o impacto causado pela própria voz. É também uma maneira de saber se a voz diz quem você é.
  • Não fique trancado dentro de casa. Saia mais. Participe da vida comunitária. Busque o convívio social.Além de ser uma fonte de enriquecimento, é uma oportunidade para treinar suas comunicações e se conhecer mais.
  • Observe atentamente  como as pessoas se movimentam, falam, e agem à sua volta. Extraia dessa observação o material necessário para o seu crescimento comunicativo.
  • Use mais o sorriso como forma de comunicação não-verbal. Sorrir atrai a simpatia e convida à aproximação.
  • Acostume-se no dia-a-dia a olhar as pessoas nos olhos quando estiver conversando, mesmo que elas o intimidem. Esse é o primeiro passo para diminuir as distâncias auto-impostas.
  • Em suas comunicações evite rotular as pessoas.
  • Pergunte-se: Estou construindo a minha vida como quero?  Sou a pessoa que quero ser? Minhas comunicações estão de acordo com os meus objetivos? Se a resposta a essa pergunta for “não”, o que é possível fazer para realizar as metas? 
  • Não se esqueça de que a visão que temos  de nós mesmos determina o tipo de relações que estabelecemos no nosso dia-a-dia. Assim cerque-se de pessoas com astral positivo que estimulem o seu crescimento.Dê pouco espaço a pessoas que se nutrem de pensamentos negativos e que vivem numa bolha de pessimismo, sem janelas abertas para a vida.
  • Evite o analfabetismo emocional. Quanto mais você se conhecer, maior a possibilidade de ter relações interpessoais mais equilibradas.
  • Não tenha os sentimentos considerados negativos como a inveja, a raiva, o medo, a solidão. Reconhecê-los e identificá-los é o primeiro passo para poder administrá-los. E não se culpe por senti-los. Sentimento é sentimento, não é nem bom nem ruim, tudo depende de como o encaramos e aprendemos com ele. Se for reprimido por muito tempo, negado, uma hora ele explode e quase sempre na hora errada.
  • Cuide de sua saúde física e mental. Faça exercícios regularmente para manter-se oxigenado. Faça caminhadas e procure aliviar a mente dos pensamentos negativos. Isso ajuda a diminuir o estresse emocional. 
  • Fonte: Comunicação Sem Medo de Eunice Mendes e Costacurta Junqueira.